Joe Beck, pequena parte da história.

Entrevista com Joe Beck

Quando Johnny Beck mudou-se para Nova York em meados dos anos 60 tudo o que queria era tocar jazz mas o destino interveio e o lançou em uma carreira de estúdio que incluía tudo desde gravações com Mile Davis e os montgomerys até projetos como Out and the Funk e rock in Country Com saBicas o astro do Flamengo nunca fui capaz de entender porque acabei fazendo coisas tão diversificadas admite o cinquntão, acho que nunca fui bom apenas em rock clássico ou Jazz Era bom o bastante para tocar um pouco de tudo.

Nos anos 60 e 70 você não tinha ideia do que teria de enfrentar no estúdio poderia ser qualquer coisa da música grega muito rápida ao Country metálico ou aos acordes de Hendrix gostava de tocar tudo isso desde que não tivesse de fazê-los todos os dias o dia todo a verdadeira identidade musical de Joe transparece Em seu novo álbum Fire Painting em parceria com o saxofonista Bill Evans o baixista marketing e Danny gottlieb na bateria ele manuseia nove originais e uma standard o disco é dedicada a mente contemporânea como Deixa claro a batida funk e os trabalho de  soul Uma Incrível balada com brilhantes passagens de corda mas por trás disso existe o estilo The Way Simon engordei e Jorge Eva apps suas duas maiores influências seguir os exemplos de leis em praticamente todo o disco usando o dedão para tons incorporados e sua habilidade para se prevenir contra as palhetadas Que considera Clichês ele gravou com uma guitarra elétrica construída pelo Luthier John dahlback em 1951 John se ofereceu para fazer a guitarra Para Dom Arnoni um gênio entre os guitarristas explica Joe Jackson Nunca havia Detonado uma de suas top arranjou um corpo mais barato fecho os buracos para os picapes refez o suporte e instalou o seu próprio braço e types não atendeu para um cara que eu conhecia E como eu estava interessado a comprei no final dos anos 60 back teve a honra de gravar com o ex uma das canções produzidas por Grey Taylor e se lembra das gêmeas que fez com o ex era realmente inspirador ways era capaz de dizer mais em duas notas do que muitas pessoas em dúzias.

     

 

O grande músico

Ninguém jamais havia tocado daquela forma e ele e George van EPS disseram tudo sobre guitarra Jessie Joe considera rock encontra com fábricas o trabalho mais louco de sua carreira um dos discos de guitarra mais chocante da década de 60 era completamente doido mas fez um estardalhaço sabe o que é o músico mais inflexível com quem já trabalhei ele podia tocar uma peça em apenas uma velocidade era como se você ligasse na tomada e começasse a desejar notas sem ter a menor noção do que estava acontecendo ao seu redor o que fazia não era improvisado mas absolutamente planejado e perfeitamente executado tinha um controle inacreditável sobre o instrumento mas era quase impossível para ele dar com os punch. Para terminar seu irmão tocava rhythm Guitar e parecia que eles eram siameses mas de todos os grandes músicos com quem Beck tocou, Ao contrário do que dizem a seu respeito Mendes era divertido fui o primeiro guitarrista que ele usou um dois álbuns que fiz com ele foi Circles in the round com reboque Tom Carter Wayne shorter e Tony Williams naquele tempo me diz não tinha a menor ideia do quanto eu podia tocar então eu usei a camisa e entrei de cabeça. Mais tarde quando ele tocou com externo Scofield descobriu o que realmente queria do instrumento mas o que fiz com ele foi mais ou menos inútil do ponto de vista musical.

Início dos anos 70

No início dos anos 70 Becker parou de tocar guitarra e foi trabalhar em uma fazenda mudança radical para o rapaz de Filadélfia viver em Nova Iorque tornou-se muito violento por causa das drogas então ordenha em vacas durante uns 2 anos . Quando voltei gravei vários discos para o CTI e comprei minha própria fazenda e acabei vendendo logo depois.  não espere que eu volte aquela inutilidade. Naquela brincadeira em que alguém pergunta ao fazendeiro o que ele vai fazer com o dinheiro que ganhou na Loteria e ele diz que é melhor voltar para Fazenda antes que a grana suma.

hoje além de manter a carreira solo Becker dirige sua própria companhia a code Blocks que produz músicas para televisão e comerciais de rádio dez anos atrás era normal fazer de 15 a 20 gravações por semana ele diz agora fico sem fazer uma durante meses recomecei o processo de arranjar e compor tudo é uma sequência Estou tocando baixo piano e bateria outra faceta de sua empresa é divulgar na internet as guitarras sadowsky cordas La Bella Liss tem e Al Di meola.

 

A coleção pessoal de discos de Jimi Hendrix

Se você tivesse que adivinhar o álbum Favorito de Jimi Hendrix qual seria o seu palpite ? Muddy Waters Bob Dylan segundo cardigan page que viveu com time de 66 a 69 era o cômico LP de Bill cosby Stage out as a child um dos muitos álbuns de Cosme Que ela descreve como o favorito absoluto Dede me amava e os tocava para quem quer que fosse ao nosso apartamento talentoso e versátil, Jimi conseguir imitar a voz de Cosme com facilidade bem como a do apresentador britânico de talk show David Foster, cujos álbuns defrost report on britain foram motivo de muitas gargalhadas durante o tempo que passou em Londres, estava apenas reiniciando naquele lance inglês Lembra  Etchingham e naquela época começou a entender o senso de humor britânico e as nuances do idioma. Etchingham E Hendrix dividiram vários apartamentos sendo um deles em Brooke Street 23

mayfair vizinho da casa em que morou handel Lá eles colecionavam quase 100 discos que variavam desde o blues ao folk, da música clássica ao som mais conhecido, a coleção completa foi vendida alguns anos para o Experience music Project em Seattle, Muitos dos nossos discos foram comprados em um lugar chamado os top recordes na South moto street do outro lado da Street comenta Etchingham e Outros tantos foram dados a Dime por outras bandas ou enviados pelo correio os discos de música clássica eram comprados na hmv que ficava na Oxford Street onde adquirir cópia do the planet The Host is the handel.

 

 Consumista impulsivo

Hendrix era um Consumista impulsivo o que não é nada surpreendente de me comprava por curiosidade, muitas vezes ele ia até as prateleiras de discos olhava algo por um momento eu comprava Depois escutava uma vez e nunca mais eu tocava, comenta Katy uma de suas extravagâncias foi o polêmico disco de John e Yoko two virgins que ele comprou especialmente por causa da capa com a foto dos dois nus Decentemente embalada em papel marrom essa capa foi considerada obscena e eu me lembro das risadas que rolavam na ônibus top Record quando eles tinham de colocar disco no saco de papel marrom grande, parte da coleção de Hendrix era de disco de bluesKate se lembra de Elmore Jamescomo o Predileto e julgando pelos álbuns que possui a Muddy Waters e Line hawkings também eram grandes favoritos.

 

 Down on stovall Plation

 O álbum Down on stovall Plation Das testament records reeditou as gravações de mude de 1941 e 42 em 78 rotações. este álbum foi um projeto realizado pela livraria do congresso americano com o intuito de registrar várias formas de arte primitiva e seus principais representantes no habitat de origem. Etchingham Se lembra de Jimi tentando conseguir uma cópia de eletro que mude ( O próprio muddy considerava esse disco uma experiência psicodélica Que levava para o caminho errado e dizia se você precisa de grande amplificadores wah wahs e equipamentos para fazer com que Sua Guitarra diga coisas diferentes, bem,  diabos então você não pode tocar blues ) As cópias de The Head folk Blues e moorhead folk Blues in the muddy eram antológicas contendo clássicas interpretações de mannich Boy screaming And Cry e little geneva a paixão de Jimmy por Linghtini É revelada por sua coleção dos maiores sucessos do texano como Soul Blues, o único disco de John Lee Walker Live at Cafe au go go foi gravado ao vivo em 1966 com toda a banda The Walkers incluindo muddy na guitarra e Otis spann ao piano.

Jimmy também tinha exemplares de The best Of Elmore James.

Curiosamente não havia títulos de Bibi King embora  Etchingham diga que muitos eram permanente emprestados de amigos entretanto ele tinha o essencial Live Wire Blues Power.

 

O Blues Man

As pessoas irão discutir comigo mas aquele cara era um Blues Man  insiste Katy foi o que realmente cativou seu coração, qualquer um que me diga que ele teria se tornado um músico Jazz bem,  f***-se . da maneira como o Jimi se comportava, Se ele gostasse e de Jazz, seria um músico de jazz, se gostasse de Folk, seria um músculo de folk,  mas o que ele realmente gostava e tocava em casa era Blues. na coleção também é possível encontrar um dos álbuns de Robert Johnson presente oferecido ao casal pelo produtor empresário de Ea Birds Giorgio,  durante uma visita que Jimi e Katy fizeram aos escritórios da polydor em Oxford City.

tinha muitos álbuns de folk interessantes tais como sophisticated beggar De Roy Harper Que contava um dois nomes ainda desconhecidos Jimi Page e John Bonham.

Hendrix adorava ouvir grandes vocalistas tanto quanto músicos de peso ele escutava no site de Nina Simone Angry Birds.

ele era fã de Elvis desde a sua Juventude e entre os seus primeiros LPS de rock estavam Guns The End colchão Elite Richard.

A quantidade de álbuns de pop rock era relativamente limitada, embora ele tivesse o Magical Mystery Tour, ele também possuía exemplares de alguns músicos Que haviam sido seus parceiros no passado e de outros que tocariam com ele tempos mais tarde como o notável home do delaney e Bonnie.

 

Etchingham Descreve como um dos adquiridos da coleção nós costumávamos escutar o bastante. Jimmy gostava muito das harmonias vocais dele.

 

Entre os títulos esotéricos estavam o Wonderwall music de George Harrison 1968, uma mistura de trilha sonora com instrumentação indiana. fã da música clássica indiana e amigo próximo Brian Jones.

 

O toca discos

Kate lembra que ela e Hendrix possuíam um toca-discos bem e o Office no qual eles tinham de colocar uma moeda de meio penny com durex no braço porque o equilíbrio não estava muito bom.Caso contrário ele pulava o tempo todo, o prato estava ligado Em um amplificador  leak 70E havia um gravador de rolo bem e olufsen e duas caixas log de 30watts cada, que frequentemente precisavam de conserto. quando os falantes estouravam Eu costumava colocá-los em um táxi e levar a algum lugar em Blumenau essex,  onde a loja tinha uma pequena oficina explica Etchingham.Eles os consertavam enquanto eu esperava pois sabia dos problemas que teria se levasse uma semana para arruma-los! eles até mesmo tentavam reforçar os falantes para nós. nós não tínhamos vizinhos em   Brook Street, Então hoje estouravam sempre. o casal também utilizava um estéreo portátil de de CCA com falantes na tampa.

 

Hendrix não era um audiofolio cuidadoso ele era terrível- nunca colocava os discos De Volta nas capa,s eles ficavam todos espalhados pelo chão e este era motivo de estarem sempre tão danificados. Se ele gostasse particularmente de um disco, ele o separava mas caso contrário não.

 

A guitarra clássica Descansa em uma poltrona de estofado branco.  a parte posterior do instrumento, com o seu Fino acabamento em madrepérola, reflete a imagem da paisagem. São casas suspensas em Colinas rochosas. é esta a vista da janela da residência de Jonh Maclaughlin Em Monte Carlo. Em um canto distante, há um antigo chafariz francês do século XVII, com sua bacia cheia de restos de cera de velas ali queimadas. na outra sala, depois do rall, um computador percorre os arquivos sonoros de cada faixa do novo álbum de Maclaughlin, Os desenhos na tela dançam com As vozes familiares. “El Ciego”, Estrelando Paco de lucía  Al Di meola, apresenta um emergente trio de Orquestra acústica. “ Jazz Jungle”, com Mike  Brecker No sax tenor, transborda Fusion Com tudo o que tem direito. mostra o organismo Joe De Francesco e o bombardeio da bateria, Dennis  chambers, detonando todas as noções de suingue e, é, claro, ah o grito afinado da guitarra de Jeff Beck, cuja Performance em “Django” ameaça trazer de volta à Vida ou célebre guitarrista Cigano.

 

 

 

Então, onde está John macaulin?  está cortando em divas e maçãs e polindo algum novo tipo de música.  dedilha um pequeno instrumento da metade do século XIX,Tão delicado que chega a ser difícil afiná-lo. se aproxima do computador e cantar as notas complexas de uma nova peça chamada “ spírito”,  que ele pretende gravar com Paco e AL para um próximo CD em parceria com o trio. nas mãos de Macaulay, macaulin a tecnologia foi ajustada para fins pessoais- seu software produz um som de cantos de meditação para aqueles momentos em que ele não está dentro do alcance auditivo dos mântricos do “sruti”, em sua sala.

John Macaulay

Pode-se dizer, com certeza, que John Macaulay  vive melhor E aparentemente mais feliz do que qualquer outro homem do planeta que tenha a coragem de tocar uma música Tão descompromissada. você poderia dizer que Ele dirige a enorme Mercedes prateada pelos Alpes, com a mesma destemida precisão com que navega no braço ou nas cordas de qualquer instrumento com trastes. The Promise É o fim grande display dessa simetria viva. não é como uma caminhada por seu passado.  é mais uma foto sugerida a aceitação das muitas paixões de Macaulay, Uma vez que essas Paixões ajudaram a ditar cada revolução do jazz desde o final dos anos 60. apenas chegando aleatoriamente o seu trabalho duranteeste tempo- o Marco A  tribute to Jack Johnson tirado agressivamente da manga de Miles Davis.

 

A história, juntamente com a arte, a filosofia e a cultura estrangeiras são objeções de John Macaulay. elas estão presentes em tudo que o cerca,  em como se comunica- todas as vezes em que o Telefone Toca, a conversa acontece em uma língua diferente- E até nas fotos dele tocando e rindo com mestres como: Herbie Hancock, Miles, Paco, AL, Elvin  e os membros do Shakti sentados com as pernas cruzadas, no piso de seu velho sótão Manhattan. uma foto, imagem Rara dois primeiros tempos com Davis, é reveladora. lá, entre os afros e os pianos elétricos, está  uma das poucas imagens de um macallan Jovem e desarrumado com uma Fender Mustang. A foto mostra um estudante não formado, bem diferente daquela postura familiar de pássaro de fogo.

Com Miles,  macaulin encontrou o seu caminho- uma sucessão de desafios, muitas vezes Dolorosos, que ele ainda lembra, dias antes de comemorar seu  54º aniversário e décadas desde que se tornou um super astro da guitarra. dessa maneira caminha este ex motorista de caminhão, que desenvolveu seu gosto por caviar enquanto entregava alimentos para os hotéis  Ingleses entre as gigs R&B,Nos anos 60. ele não é apenas uma estrela da música, mais um perfeito gentleman, tão preservado e encantador, que você jamais suspeitaria da fera que existe dentro dele. Ela aparece quando ele fecha os olhos e toca.

O tributo

O sinfônico tributo Hendrix in from the storm, que você fez com Sting e Vini colaiuta, foi o que o incitou a juntar tantos comtextos no the Promise?

 

Na verdade, isso surgiu no meio das gravações deste álbum. o projeto Hendrix foi escolha do meu “ eu ” Guitarrista. Eddie Kramer  chegou até mim e disse: “ Pegue um baixista e um batera e toque um dos sons de Hendrix”. Então eu escolhi Sting e vinil para tocar “ The Wind Cries Mary” .Pensei que sting apenas  tocaria baixo e que eles usariam algum vocalista, mas ele queria cantar e isso me deixou muito contente. nunca tinha tocado com Vinnie. ele é um baterista louco.

 

A ideia de tocar com os Sting desta maneira é surpreendente. Ele fala bastante sobre Jaco, mas é um tipo como Phil Collins, alguém que abandonou o improviso para compor.

O baterista excelente

Ele gosta de tocar. na verdade, eu chamei   Phil para fazer a bateria na faixa com Jeff, mas ele estava filmando. Sting está nisto. Depois de todos estes anos, Sem nos encontrarmos, então era uma boa oportunidade, não? ele não é apenas um Pop Star, ele é bastante consciente.

 

 

Porque aquela jam dura apenas um minuto?

 

Por que é um flash- e esta era a  verdadeira reunião. Nós alugamos e foi assim, rsrsrsrs. ouvir os primeiros, segundos chamei sting e disse que gostaria de usar apenas Aquela pequena parte. e ele disse: “Yeah”  há cerca de 15 minutos disto” EZ Flash, também, uma transição maluca do álbum, porque estamos vindo de “ The Wis ”, com Nishat Kan, Zakir Hussain e Trilok Gurtu emerge naquele rugido ridículo. Isto vai para o lance da selva. você  conhece Jungle music? como as grooves de bateria nos anos 70, que tinham de ser programadas por que é um tempo dobrado, impossível de ser tocado- ao invés de uma batida, você tem um roubo seguido de 96 decibéis de silêncio entre a batida do bumbo e a da Caixa.

Sua guitarra midi

Existe um programador de bateria na Sua Guitarra Midi?

 

 

Não, a bateria é ao vivo. A guitarra é Harmonia por trás disso. a bateria é um outtake, talvez de Dênnis, mas completamente retorcida. É louco porque um grande jato 747 aparece no final. mas sem loucura ou a fantasia, a música é monótona. na, sociedade somos ensinados a ser Racionais,  lógicos e coerentes, Mas apesar disso, também somos loucos.

 

Movendo-se entre o elétrico ou acústico refinado como este,  forçar uma grande mudança na consciência.

 

Eu quero mudar minha consciência. é isto que eu faço na vida. Quando eu quero sentar, Cantar e meditar. estou alterando minha consciência e quero isso o tempo todo. quando você o faz, você Enxerga de maneira diferente. na música, ouvir e tocar são a mesma coisa- ouvir você tocar é como se ver tocar.  E eu já me cansei.Quero mudar. você precisa de certos automatismos quando está tocando, Por que não consegue tocar e pensar- ou está tocando ou está pensando. é claro que você substitui alguns hábitos por outros, porque eles devem se tornar parte do processo subconsciente de tocar. desta maneira, eles são úteis, mas, ao mesmo tempo, é muito fácil cair na armadilha de Tais hábitos. Então você tem de substituí-los. regularmente, quero as minhas correntes da maneira como percebo, da maneira como vejo a música, Seu fraseado e movimento a. Harmonico .Assim, quando o trabalho, quero surpresas. talvez isto seja chocante, mas choque também  são bons. não é como se estivesse tentando racionalizar o processo, Porque como é que você racionaliza um 747 no final de um som de bateria?

 

Nos 14 anos em que o trio esteve parado lhe, ocorreram idéias que fossem apropriadas a este contexto, mas não decidiu dar continuidade?

 

Na verdade, escrevi “ el ciego ”  há cinco anos atrás e Paco, que eu encontro todas as férias, disse: “Juanito, Eu preciso de uma peça para gravação”. então, lhe dei a fita. dois meses depois, perguntei se havia gostado E ele disse: “ é excelente, mas eu não sei o que você está fazendo, então não gravei.” Paco lê muito devagar, mas quando ele toca é maravilhoso. se ele tivesse a partitura, teria funcionado, mas ele gosta de captar com ouvido o que não foi capaz de fazer. mas nós dois gostamos da peça, então a gravamos mais tarde com AL, em Paris.